julho 28, 2005

GUIA DE SOBREVIVÊNCIA NO METRO DE LISBOA

Ainda me lembro quando era puto, da magia que era para mim usar o Metro de Lisboa. As estações ainda tinham aquela cor cinzenta e os degraus tinham uma espécie de minúsculos cristais que brilhavam e deixavam-me maravilhado a olhar para eles! Tal como a estação de Alvalade, mas limpas.

Depois havia aquele cheirinho a ar ionizado pelas altas correntes que alimentam as carruagens (agora, não me cheira a nada, embora às vezes, as estações mais antigas cheirem-me mal).

Entretanto cresci, o Metro também e as estações até ficaram mais bonitas! Estou agora a lembrar-me das de Entrecampos com a sua poesia gravada nas paredes, ou a colorida e invulgar de Olaias onde parecemos estar num mundo gigante.

Estava tudo muito agradavelzinho até que nos últimos meses, uma entidade cujo nome começa por M, decide instalar ecrãns de plasma e projectores com o fim de divulgar notícias e alguma publicidade. Note-se a ênfase em "alguma publicidade"...

Ao princípio até achei uma ideia engraçada, se bem que sempre apreciei o Metro pelo seu relativo silêncio, contrastante com o ruído que polui a cidade acima. Até que nos últimos tempos tudo se tornou INSUPORTÁVEL (pelo menos para mim).

As notícias são mínimas e a variedade de anúncios também é muito reduzida. Como resultado, o raio dos anúncios passam ciclicamente e de tal maneira que, o mesmo anúncio pode ser gramado a cada 4 minutos! Semanas a fio, sempre os mesmos anúncios! Ou seja, quem usa o Metro diariamente como eu, já sabe de cor e salteado os jingles, as frases e as imagens de cada anúncio, o que para mim é EXTREMAMENTE IRRITANTE!

Daí eu propor um kit de sobrevivência a este massacre audiovisual. Divulgo assim algumas soluções:


1ª - Façam como eu: arranjem um "fones" (qq coisa: leitores mp3, walkmans) que vos dê a música que vocês querem!

2ª - Levar diariamente dois pedaços de queijo nos bolsos e quando entrarem no Metro, inserir nos ouvidos, pressionando com a força necessária até que estes preencham na totalidade as cavidades auditivas, de preferência sem as rebentar, à boa maneira da série "Hallo Hallo".

3ª - Gritar com toda a força "Ó RAMA, Ó QUE LINDA RAMA, Ó RAMA DA OLIVEIRAAAAAAA!!!!!" de modo a que o som proveniente das vossas gargantas se sobreponha ao nefasto áudio publicitário - Atenção, é favor cantar em sincronia com os restantes utentes e, de preferência, de modo afinado, ok ?

4ª - Método Radical (que realmente não aconselho) : Partir aquela porcaria toda.

Felizmente ainda há oásis. Algumas estações ainda não têm esta praga. Ironicamente, uma delas chama-se Sr. Roubado.

4 Comments:

Anonymous Dj Martell disse...

Aconselha a administração do metro, a substituir os anúncios por umas musiquitas para o pessoal se rir...ou não!!!

Podes ouvir algumas em:

http://www.homestudio.com.pt/bandas/verbanda.php?id=1338

Cumps

19:09  
Blogger Pedro Duarte disse...

hehehehe, bem divertido, dj martell !

22:39  
Blogger Cubic.Emotion disse...

Bons conselhos para quem costuma andar de metro...

Contudo a música "Ó RAMA, Ó QUE LINDA RAMA, Ó RAMA DA OLIVEIRAAAAAAA!!!!!" Passa a ser substituida para "Ó Elsa ó que linda Elsa, ó Elsa da zambujeira!" :| Aqui está um exemplo do poder da publicidade... :P

*

22:23  
Blogger Pedro Duarte disse...

Pois Sara, também tinha pensado nessa ;)

Mas dp pensei melhor e não queira me apropriar da Elsa ... Afinal, andam aí a usar o nome dela e a rapariga não recebe nem um cêntimo ... Se fosse eu, processo em cima da organização do espectáculo ;)

22:34  

Enviar um comentário

<< Home





Para receber um e-mail cada vez que haja novidades neste blog clique no símbolo RSSFWD abaixo e introduza o seu e-mail